quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

EXTREME NOISE TERROR







Fala galera, após um período de jejum sem posts aqui no nosso beco underground, devido a trabalho e estudos, volto com essa banda que é um verdadeiro esporro, banda das antigas conterrâneos do Napalm Death e que junto com eles e Terrorizer ajudaram na criação e consolidação do que veio a se chamar Grind Core. Segue um breve relato extraído da Wikipédia...



Extreme Noise Terror (também conhecida como ENT) é uma banda de crust punk/grindcore, formada no ano de 1985 em Ipswich na Inglaterra. Foi uma das primeiras bandas de grindcore inglesas e continuam juntos até hoje e com o vocalista Dean Jones como único integrante da formação original. Notável pelo uso de dois vocalistas e por gravar vários peel sessions, a banda começou com uma sonoridade mais hardcore punk. Depois tornou-se evidente nos primeiros shows que eles eram mais extremos que as bandas desses gêneros. Junto com o Napalm Death (de quem eram muito próximos, inclusive chegando a compartilhar o mesmo baterista, Mick Harris), a banda ajudou a caracterizar o som grindcore com letras extremamente politizadas, guitarras sujas com músicas rápidas e curtas.

A banda foi formada em janeiro de 1985 e logo no primeiro show, assinam com o selo Manic Ears Records. Radioactive foi o primeiro lançamento da banda, sendo este um álbum split junto com a banda Chaos UK, afirmando o seu nome em uma cena decaída misturando agressão metálica com atitude punk, deixando um inegável impacto ajudado pelo fato de haver dois vocalistas na banda. Logo após esse lançamento, o baterista Pig Killer deixa a banda e logo é substituído por Mick Harris do Napalm Death. O ano de 1987 prova ser muito significante para a banda. John Peel da Radio 1 fica interessado pelo ENT após ver um show da banda e logo os chamou para tocar no seu programa, originando o álbum The Peel Sessions. Mais tarde essas sessões seriam lançadas em vinil pela BBC. Em 1988, trocam de baterista novamente, agora Stick da banda Doom e com isto gravam o álbum Holocaust In Your Head, seguido de uma turnê européia e japonesa. Após esses acontecimentos, a banda faz várias outras turnês e gravam alguns splits. No ano de 1991, a banda grava o álbum Phonophobia pela Vinyl Japan, tocando constantemente no programa de John Peel, levando os integrantes do grupo inglês de dance music The KLF a escutá-los. Um tempo depois, o grupo é chamado para tocar com os The KLF a música 3AM Eternal, que logo se torna um single de sucesso chegando na época a ser o single da semana pelas conceituadas revistas NME e Melody Maker. Incrivelmente, a banda toca ao vivo nos Britsh Awards em 1992, onde provocam um frenesi colectivo ao simularem que metralhavam a platéia, causando forte comoção após a atribuição dos prêmios. A banda fez uma turnê nos anos 1993-1994 e em 1995 assina com a editora inglesa Earache Records, lançando o álbum Retrobution, este contendo só regravações da banda. Após esse lançamento, a banda faz uma outra turnê por todo os Estados Unidos. A formação da banda mudou para o lançamento do álbum Damage 381 ainda pela gravadora Earache Records, contavam com Was (ex: Cradle Of Filth) na bateria e Barney Greenway (Napalm Death/ex-Benediction) nas vozes. Novamente a banda troca de formação em 1999 e em 2001, sai o álbum Being And Nothing pela editora Candlelight Records. Com um direcionamento mais influenciado pelo death metal, a banda agora contava com o ex-Cradle Of Filth, Gian Pyres.

Fonte: wikipedia

Para compensar o hiato de posts, segue um show dos caras em Berlin 05/06/2009 e mais umas músicas soltas no final...



















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todas os comentários que forem considerados ofensivos ou contrários aos princípios deste Blog não serão aceitos, chega de radicalismos infantis.